contador



quinta-feira, 20 de abril de 2017

William Henry Lane ou Mestre Juba, o bailarino criador do sapateado

William Henry Lane ou Mestre Juba, o bailarino criador do sapateado

20.4.2017
A maioria dos negros escravizados nos EUA vieram de culturas africanas que usavam tambores como um meio de comunicação e expressão pessoal. Nos EUA, os negros não foram autorizados a tocar tambores, então eles começaram a usar seus corpos como instrumentos. Ao longo do tempo, usavam as mãos batendo palmas, pé pisoteando, batendo no corpo e tapas na coxa que evoluíram para uma dança chamada "patting Juba".

Lane combinava o patting juba com a dança irlandesa que ele tinha aprendido com seus vizinhos irlandeses, e acrescentou muitos outros passos de dança étnica que tinha aprendido, criando uma nova dança que ficou conhecido como sapateado. Como sua reputação cresceu, os promotores começaram a chamá-lo de Mestre Juba; e ele foi proclamado o maior dançarino de todos os tempos por escritores americanos e europeus.

"Juba e Jude" eram nomes comuns usados por negros escravizados que muitas vezes foram adotadas por dançarinos e músicos. Juba é também o nome de um ser sobrenatural do algum folclore negro americano e tornou-se o nome popular para uma erva daninha prolífica; o arbusto de Juba ou escova de Juba.

William Henry Lane é tido com uma das figuras mais mais influentes na criação de sapateado americano. Ele desenvolveu um estilo único de usar seu corpo como instrumento musical, misturando ritmos sincopados africanos, variando com movimentos do carretel irlandês. A fusão destas formas de dança vernaculares de Lane, é reconhecida hoje como os elementos fundamentais do estilo em constante evolução do sapateado americano. 

Nascido livre em Providence, Rhode Island por volta de 1825, começou a aprender a dança irlandesa carretel com "tio" Jim Lowe, em um salão de dança em New York City. Aos dez anos de idade, ele estava se apresentando no Paradise Square in the Five Points Districts of New York, onde uma alta concentração de populações afro-americanos e irlandeses viviam. As formas de danças vernaculares desses dois grupos étnicos misturados proporcionaram a Lane as diferentes bases rítmicas e de movimento que facilitaram o desenvolvimento de seu estilo de dança. 

A originalidade de Lane em usar diferentes áreas de seus pés para criar ritmos, manter o tempo e complexos improvisos, ritmos sincopados, foi revolucionário para a década de 1840. Ele usou seus calcanhares para criar os tons mais profundos do bumbo, e as pontas dos pés para os sons mais suaves, mais elevados. Mantendo-se com as tradições orais africanas, Lane incorporada canto e riso em suas performances, acrescentando mais uma camada de suas criações rítmicas. Através destas combinações inovadoras de ritmo, footwork, improvisação, e os vocais, ele criou um estilo misto de dança afro e britânico folclórico que ainda são reconhecido nos tempos modernos. Estudantes que fazem aulas de sapateado no século XXI podem atribuir os estilos que eles aprendem a Lane. 

Por volta de 1840 Lane, foi contratado pelo P.T. Barnum para se apresentar no Museu de Barnum e foi anunciado como "Mestre Juba, a Maravilha da Dança dos tempos." Por volta de 1846 Lane fez uma turnê na Nova Inglaterra e na Europa com Pell’s Ethiopian Serenaders e recebeu o faturamento superior como o único afro-americano entre uma trupe de artistas brancos que apareciam no palco usando maquiagem blackface. 

Os registros indicam que Mestre Juba viveu a intensa vida de um atarefado performer, fazendo shows todas as noites. Ele também abriu uma escola de dança em Londres. Detalhes de sua morte não são conhecidas, mas acredita-se que tenha falecido aos 27 anos, em Londres, em 1852.

Fonte: 
http://masterjuba.com/
http://www.blackpast.org/aah/lane-william-henry-master-juba-1825-c-1852

Tags: oportunidade fortalecimento cartoons

O que eles não querem que você saiba

Contributo da sabedoria Negra nas civilizações modernas
A censura e proibição do verdadeiro papel do homem negro na História Universal, tem sido criminosamente ocultada pelo sistema de supremacia racial, usada para suprimir a presença negra na história , faz parte de um processo complexo de marginalização da memória do homem negro, que define a incapacidade de uma raça, e a sobreposição de outra sobre a mesma, este pode ser considerado mais um entre os milhares crimes da colonização, longe de ser simples este é letal devido a imortalidade da mentira e seus detalhes deliberadamente ocultados.

É necessário saber, em primeiro lugar, que são os negros (os egípcios, khemites ou khamites dos seus verdadeiros nomes) que inventaram as matemáticas, a astronomia, a física, a química, a filosofia, a escritura, até mesmo a religião, etc. Esta lista reconstitui apenas uma ínfima parte das invenções do povo negro, outras listas virão completar progressivamente.
 



1.Lâmpada eléctrica 13/09/1881 Joseph V. Nichols e Lewis H. Latimer
2.A antena Parabólica 07/06/1887 Granville T. Woods
3.A produção de Açúcar Melhorado 10/12/ Norbert Rilleux
4.A agulhagem de Comboios 31/10/1899 William F. Burr
5.A Máquina Escavadora Das Batatas 23/04/1895 F.J. Wood
6.A Cápsulas das garrafas e Jarres 13/09/1898 
7.O bidon 17/02/1891 Albert C. Richardson
8.O Painel de protecção de camas 13/08/1895 Lewis A. Russel
9.O Motor a combustão 05/07/1892 Andrew J. Beard
10.A máscara De Gás 13/08/1914 Garett A. Morgan
11.A boca de incêndio de emergência 07/05/1878 Joseph R. Winters
12.A cadeira de baloiço 15/11/1881 Payton Johnson
13.O Vigamento Metálico De Automóvel 02/02/1892 Carter William
14.A Mesa De Cozedura A Vapor 26/10/1897 Carter William
15.A Lentes De Proteção Para Os Olhos 02/11/1880 Powell Johnson
16.O Elevador 11/10/1867 Alexander Miles
17.Apontador de Lápis 11/10/1867 John L. Loove
18.O Dispositivo De Engate Dos Vagões De Comboio 10/10/1899 Andrew J. Beard
19.Os Carrosséis Para Divertimento 19/12/1899 Granville T. Woods
20.O Chaminé De Locomotiva (Melhorado) 23/05/1871 Landron Bell
21.A Lanterna Ou Lâmpada Da Tempestade 19/08/1884 Michael C. Hamey
22.O Piano 11/06/1912 Joseph H. Dickinson
23.O Vagão-Dormitório 08/10/1870 John W. West
24.A Balança Portátil 03/11/1896 John W. Hunter
25.O WC 19/12/1889 Jerome B. Rhodes
26.O Carimbo E O Tampão 27/02/1883 William B. Purvis
27.O Frigorífico (Geladeira) 14/07/1891 John Stenard
28.O Interruptor Elétrico 01/01/1889 Granville T. Woods
29.O Revelador De Fotografia 23/04/1895 Clatonia Joaquin Dorticus
30.A Galocha 08/02/1898 Alvin L. Rickman
31.A Máquina de compostagem 22/06/1897 William Barry
32.A Maquina de fundir e de moldagem 14/03/1876 David A.Fisher
33.A Vassoura-Lavador 13/06/1893 Thomas W.Steward
34.O Dactilógrafo (A Máquina de Escrever) 07/04/1885 Lee S. Burridge e Newman R. Mashman
35.O Protetor De Documentos 02/11/1886 Henry Brown
36.A Maquina Gravadora 08/01/1918 Joseph Hunter Dickinson
37.O Sistema De Alarme De Comboios 15/06/1897 Richard A. Butler
38.Terrina ou Molde de gelo 02/02/1887 Alfred L. Cralle
39.A Máquina De Secar Roupas 07/06/1892 George T. Sampson
40.A Pintura E Os Corantes 14/06/1927 George Washington Carver
41.Os Travões De Automóvel 06/08/1872 John V. Smith
42.A Máquina De Amassar 07/08 Joseph H.Dickinson
43.A Máquina De Sapataria 20/03/1884 Jan E. Matzeliger
44.A Caneta-Tinteiro Com Reservatório Permanente 07/01/1890 William B. Purvis
45.O Túnel Para Comboio Eléctrico 17/07/1888 Granville T. Woods
46.Os Fogos Tricolores de Circulação Automóvel 20/11/1923 Garett A. Morgan
47.A Guitarra 30/03/1886 Robert F. Flemmings Jr
48.A Caixa De Correio 27/10/1891 Philip B. Downing
49.O Pente De Cabelo 21/12/1920 Walter H. Sammons
50.O Trólei Eléctrico Ferroviário 19/09/1893 Elbert R. Robinson
51.O Corte-Biscoito Mecânico 30/11/ Alexander Ashbourne
52.O Chicote Batedor De Ovos 05/02/1884 Willis Johnson
53.A Mesa De Engomar 1892 Sarah Boone
54.A Imprensa Giratória 17/09/1878 W.A Lavalette
55.O Sistema De Segurança Dos Elevadores 02/04/1895 James Cooper
56.A Maquina Varredora De Ruas 17/03/1890 Charles B.Brooks
57.A Bagageira Da Bicicleta 26/12/1899 Jerry M. Certain
58.Os Sistemas E Os Aparelhos Telefónicos 11/10/1887 Granville T. W Oods
59.A Máquina De Cortar Relva 09/05/1899 John Albert Burr
60.Caixa De Velocidades Automática De Veículos 06/12/1932 Richard B. Spikes
61.O Balde De Lixo (Lixeira) 03/08/1897 Lloyd P. Ray
62.A Máquina De Pressionar Citrinos 08/12/1896John T. White
63.As Portas De Segurança (Para Pontes Balancins) 07/10/1890 Humphrey Reynolds
64.O Termóstato 06/03/1928 David N. Crosthwait Jr
65.O Quadro Da Bicicleta 10/10/1899 Isaac R. Johnson
66.A Ferradura De Cavalo 23/08/1892 Oscar E. Brown
67.O Carrinho De Bebé 18/06/1889 William H. Richardson
68.A Armadilha Automática De Ratos 31/08/1881 William S. Campbell
69.A Ceifeira Debulhadora 07/08 Robert P. Scott
70.A Sela De Cavalo William D. Davis
71.Freios De Cavalos 25/10/1892 Lincoln F. Brown
72.Protege Calçados De Cavalos 19/04/1892 Robert Coates
73.A Vara De Golf 12/12/ George F. Grant
74.O Ar-Condicionado (Split) 12/07/1949 Frederck M. Jones
75.O Gatilho do Fuzil 03/05/1897 Edward R. Lewis
76.Aparelhos Automáticos de Pesca 30/05/ George Cook
77.O Regador de Relva 4/05/1897 Joseph H. Smith
78.O Telégrafo dos Caminhos de Ferro 28/08/1888 Granville T. Woods
79.Os Aparelhos de Transmissão de Mensagens via a electricidade 7/04/1885 
Granville T. Woods.
80.O Dispositivo de Transferência dos Correios Postais 24/05/1917 J.C. Jones
81.Extintor de Fogo 26/03/1872 Thomas J. Martain
82.O Dispositivo de Transporte de Mercadoria 10/10/1899 John W. Butts
83.A Cama Dobrável 18/07/1899 L. C. Bailey 
84.As varetas de Cortinas 04/08/1896 W. S. Grant
85.O Sofá-cama Convertível 05/10/1897 J. H. Evans
86.O Lavador de Vidros Eléctrico 27/09/1882 A. L. Lewis
88.O 1° Dirigível com Motor elétrico, e o 1° com o Controle Direcional 20/02/1900 
J. F. Pickering
89.Enfardadeira de Algodão 05/06/1894 Georges W. Murray
90.Os Lubrificantes de Motor 15/11/1898 Elijah Mc Coy
91.A Máquina de Lubrificação à Vapor 04/07/1876 Elijah Mc Coy
92.A Banda Magnética de Computadores 24/08/1971 Larry T. Preston
93.O Pedal de Controle 05/10/1886 Minnis Hadden
94.Antena de Detecção por Radares 11/06/1968 James E. Lewis
95.Súper Compressor para Motor à Combustão 03/02/1976 Joseph A. Gamell
96.Automatização de Carregamento e Descarga de Correios Postais 13/02/1945 
Gus Burton
97.O Elevador de Carga 02/05/ Mary Jane Reynolds
98.A Célula Gama Eléctrica 06/06/1971 Henry T. Sampson
99.O Sistema de Refrigeração (Refrigerador e Congelador) 04/11/1879Thomas Elkins
100. A Sinalização (Balizas de aeroporto, Gruas, Edifícios,…) 30/03/1937 Lewis. Chubb
101.Dosagem da melanina (A partir da Pele) Cheikh Anta Diop
102.O Champô de Amendoim George Washington Carver
103.O Vinagre de Amendoim George Washington Carver
104.O Sabão de Amendoim George Washington Carver
105.O Pó Higiênico de Amendoim George Washington Carver
106. A Farinha de Batata George Washington Carver
107. A Tinta a partir de Batata George Washington Carver
108. O Tapioca a partir de Batata George Washington Carver
109. A Fécula a partir de Batata George Washington Carver
110. A Borracha Sintética a partir de Batata George Washington Carver
111. A Conservação dos Alimentos Lloyd A. Hall
112. A Esterilização dos Alimentos 8/02/1938 Lloyd A. Hall
113.Colchão-espuma Ignífugo contra o Fogo: Utilizado durante a 2º Guerra Mundial 
Percy L. Julian
114.Síntese de fisiostigmina (Para o Tratamento de Glaucoma) Percy L. Julian
115.Síntese da Progesterona Percy L. Julian
116. Síntese da Cortisona 10/08/1954 Percy L. Julian
117.Síntese Orgânica do Feromônio Bertram Oliver Fraser-Reid
118. Síntese de oligossacarídeos Bertram Oliver Fraser-Reid
119. Filamento de Carbono (Para a Lâmpada à Incandescência) 17/06/1882 
Lewis Howard Latimer
120. Aparelho de Refrigeração e de Desinfecção 12/01/1886 Lewis Howard Latimer
121. O Reóstato mais Fiável 13/10/1896 Granville T. Woods
122. A Terceira via ferroviária para Metro 29/01/1901Granville T. Woods
123. O Travão Automático com ar comprimido 1905 Granville T. Woods
124. O Travão Electromecânico 1887 Granville T. Woods
125. Um Interruptor Automático de Circuitos Eléctricos 1889 Granville T. Woods
126. Uma Incubadora Artificial 1890 Granville T. Woods
127. O Pacemaker (Regulador para Estimulador Cardíaco) Otis Boykin
128. A Operação com Coração Aberto 9/07/1893 Daniel Hale Williams
129. O Teste de Despistagem da Sífilis 1936 William A. Hinton
130. O Collar para a Fractura do Colo de Útero Louis Tompkins Wright
131. Tratamento das doenças venéreas (Com aureomicina)Louis Tompkins Wrigh
132. A Conservação do Sangue Charles Richard Drew
133. A Polyterapia (Utilização da Quimioterapia contra o Cancro) Parjane Cooke Wright
134. A Transplantação do Rim (2º no Mundo)Samuel L. Kountz
135. A Conservação do Rim (durante mais de 50 Horas)Samuel L. Kountz
136. O Antídoto contra overdoses De barbitúrico Arnold Hamilton Maloney
137. A Máquina de Montar os Cabedais de Sapatos Jan Earnst Matzeliger
138. O Fixador para Cabelos Garrett A. Morgan
139. O Anemômetro Philip G. Hubbard
140. Câmara-Espectrógrafo (Transportado pela Apollo 16)George R. Carruthers

Ilustrado: T.Woods inventor negro
Livro:Inventores negros na era da segregação
Fonte: Você Sabia que...

Isidro Fortunato
O Afrocrata
Tags: oportunidade fortalecimento cartoons

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Sarah Forbes Bonetta, uma Princesa Africana na Inglaterra



Sarah Forbes Bonetta foi uma criança nascida em uma dinastia real do Oeste Africano. Ela ficou órfã em 1848, quando seus pais foram mortos em uma guerra de caça a escravos. Ela tinha por volta de 8 anos de idade. Em 1850, Sarah foi levada para a Inglaterra e oferecida a Rainha Vitória como um "presente" do rei de Daomé (hoje Benin). A Rainha a adotou como afilhada, Sarah era conhecida por sua extraordinária inteligência. Ela passou a vida entre a  família real britânica e sua terra natal no continente africano até sua morte em 1880. 

Sarah Forbes Bonetta pertencia a uma dinastia do Oeste Africano, nascida Egbado Omoba ficou orfã em uma guerra inter-tribal quando tinha 8 anos de idade e posteriormente foi capturada e levada para o Rei Ghezo. A intensão era oferecê-la como sacrifício em um ritual, porém, ela foi resgatada pelo capitão Frederick E. Forbes da Royal Navy, que convenceu o Rei Ghezo de Daomé dá-la a Rainha Vitória. Forbes a batizou Sara Forbes Bonetta. A rainha Vitoria ficou impressionada com a excepcional inteligência de jovem princesa e adotou Sarah como sua afilhada, quando passou a receber toda a proteção da côrte britânica.

Forbes foi acometido por uma doença pulmonar em consequência do clima da Grã-Bretanha, decidiu voltar para a África e levou Sarah junto. Sarah passou a estudar em uma escola na África, e mais tarde voltou para a Inglaterra. A Rainha Vitoria ficou muito admirada ao notar a maneira natural da menina e seu dom para estudos acadêmicos, literatura, arte e música. Considerada um gênio, Sarah tornou-se admirada em toda a corte real e ela continuou a ofuscar seus tutores com suas habilidades avançadas em todos os estudos. Isso tudo sem falar nos relatos da delicadeza de sua beleza.

Aos 18 anos, Sarah recebeu uma proposta de casamento de James Pinson Labulo Davies, um empresário de 31 anos iorubá de considerável riqueza que vivia na Grã-Bretanha. Ela se recusou e dizem que para que ela aceitasse casar, Sarah foi enviada para viver com duas senhoras idosas em Brighton cuja casa ela descreveu como um "chiqueiro desolador".

Ela então foi convencida pela rainha a casar com o Capitão James Davies na Igreja de São Nicolau, em Brighton , em agosto de 1862. A festa de casamento chegou de West Hill Lodge, Brighton em 10 carruagens, uma comitiva composta por casais brancos e negros. Havia 16 damas de honra. Os recém-casados se mudam para a África Ocidental e Sarah foi batizada em uma igreja na cidade de Badagry. Eles se estabeleceram em Lagos, onde seu marido tornou-se membro do Conselho Legislativo. 
Pouco depois de seu casamento, Sarah deu luz uma filha, e foi concedida a permissão da Rainha para o nome da criança Vitoria - a rainha também se tornou sua madrinha. 
Sarah visitou a Rainha em 1867 com a filha voltou para Lagos e teve mais dois filhos. Em 1880, sofrendo de tuberculose, ela veio a falecer por volta dos 40 anos, e foi enterrada em Funchal, Madiera.

Uma grande parte de seus descendentes vivem na Inglaterra e em Serra Leoa, e em Lagos, seus descendentes continuam a ser destaque na contemporânea Nigéria.










Fonte: 
http://www.blackhistorymonth.org.uk/article/section/real-stories/the-african-princess-sarah-forbes-bonetta/
http://nawmagazine.com/sarah-forbes-bonetta-the-yoruba-princess-who-captured-queen-victorias-heart/
Tags: oportunidade fortalecimento cartoons