contador



terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Não é só uma pintura na parede é a semiotica da igualdade na igreja de São Benedito




A igreja de São Benedito presente no bairro do laguinho desde 02.03.1956 por Dom Aristides Piróvano benze e inaugura a Capela do bairro do Laguinho em Macapá, dedicada a São Benedito. De inicio com paredes de madeira, piso de cimento e é coberta com telhas tipo.

Essa Igreja cresceu no bairro de origem negra onde muitos das pedonalidades do laguinho foram batizados, ao longo do tempo ela cresceu junto com o desenvolvimento e sempre parecendo “dois mundo em um”, um liturgia de brancos evangelizando negros fora do contexto da realidade do bairro.

Os grupos de jovens da igreja sempre na sua maioria de moradores do bairro, teve a audácia de na década de 70 apresentar um Deus negro durante a encenação de uma cruz para Jesus – Salve Bi Trindade- parecia um mundo do lado de dentro e outro do lado de fora.

Vamos dar um salto na história – tudo é muito novo e, as coisas estão acontecendo de forma que as pessoas não se percebem; a Pastoral Afro-Brasileira do Amapá , que tem sua missa afro com representantes da umbanda, candomblé, tambor de mina e catolicismo, vem mudando um pouco da rotina de tempos remotos já mencionados. Esse ano a igreja vem fazendo a restauração das pinturas sacras e veja que os santos anjos que eram dez (10), sendo apenas um (1) negro, na restauração agora são cinco (5) negros e cinco (5) brancos; não é para causar polêmica e sim para parabenizar a igreja e a pastoral afro, pois mostra que a implementação do segmento vem dando certo. 

Pode parecer apenas uma pintura na parede mas que para o fortalecimento da politica de ações afirmativas já é um grande passo.

( A semiótica é o estudo dos signos e da semiose, que estuda todos os fenômenos culturais como se fossem sistemas sígnicos, isto é, sistemas de significação)

Nenhum comentário:

Postar um comentário